Tudo sobre Sal: Conheça os tipos, como usar, salgar, dessalgar e muito mais - Receitas Saborosas Demais

Tudo sobre Sal: Conheça os tipos, como usar, salgar, dessalgar e muito mais

Salgou o feijão? Manchou aquela blusa? Problemas com insetos? O sal é sem dúvidas mais do que um simples tempero, saiba tudo sobre ele!


Tudo sobre Sal: Conheça os tipos, como usar, salgar, dessalgar e muito mais (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Tudo sobre Sal: Conheça os tipos, como usar, salgar, dessalgar e muito mais (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)

Ele serviu como um importante conservante alimentar numa era sem geladeiras. Foi usado como moeda de troca. Inspirou a palavra salário. Já foi motivo de guerras. Teve valor estratégico para o domínio de regiões. E, além de tudo isso, ele tempera e realça o sabor dos alimentos.

Como diz um ditado que eu acabei de inventar: "Basta um punhado de sal e até pedra vira uma sopa saborosa."

E, de uns tempos para cá, o sal ganhou uma atenção maior na cozinha. Seja pelo consumo excessivo de sódio ou pelos diversos tipos de sal que se popularizaram com a facilidade da importação, o sal está em alta.

Sais com diferentes cores, sabores e texturas ganharam a mesa e o paladar das pessoas. Sal marinho, flor de sal, sal do Himalaia e até do Havaí! Conhecer os diferentes tipos de sal abre espaço para explorarmos novos gostos e novas possibilidades na gastronomia.

Mas, você sabe como usar cada tipo diferente de sal? Ou sabe pelo menos o básico: como salgar a comida? Quando você lê uma receita que indica "uma pitada de sal", você sabe qual é o tamanho dessa pitada? E se salgar demais, o que fazer? E quais outras funções o sal tem fora da comida?

Deixando o consumo excessivo e os problemas de saúde de lado, vou temperar este artigo (péssimo trocadilho) com um pouco do que você precisa saber sobre os tipos, como salgar a comida, como dessalgar e onde mais usar o rei e item indispensável em qualquer cozinha: o sal.


Tipos de sal

Tipos de sal (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Tipos de sal (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)

Sal refinado de mesa

Sal refinado de mesa  (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal refinado de mesa  (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
É o sal refinado comum aos brasileiros: sal marinho extraído de salinas e refinado posteriormente de maneira industrial. E fim. Não tem muito o que explicar, todo mundo já viu e consumiu.

Sal light

Sal light (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal light (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
O sal light foi criado para diminuir a quantidade de sódio consumido. Enquanto o sal de mesa é composto apenas por cloreto de sódio, a versão light leva também o cloreto de potássio. Com isso, ele realça o sabor dos alimentos utilizando muito menos sódio.

As versões comercializadas têm entre 20% a 70% menos sódio do que o comum. No entanto, o sabor é um pouco amargo (por conta do cloreto de potássio) e ele custa bem mais caro que a versão refinada normal.

Flor de sal

Flor de sal (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Flor de sal (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Essa é uma das mais delicadas versões de sal e seu consumo cresceu muito atualmente. Colhida manualmente, é formado nas superfícies da água do mar das salinas e, devido à ação do vento, adquire o aspecto de pequenos cristais. 

Esse sal é mais saudável que o sal refinado comum e seu sabor mais suave. Contém minerais e nutrientes únicos, que facilitam a digestão e tem a vantagem de ser absolutamente natural, não sendo sujeita a qualquer processo de industrialização, incluindo a lavagem, que remove componentes nutricionais importantíssimos tais como plâncton e pequenos restos de esqueletos de minúsculos animais marinhos, grandes fontes de cálcio, magnésio, zinco, cobre, entre outros.

Seu valor pode ser bem elevado, variando conforme a região em que é colhida. É muito usada na alta gastronomia. Como é delicada, o ideal é acrescentá-la após o preparo, quando o fogo já estiver desligado.



Sal rosa

Sal rosa (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal rosa (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
As reservas do sal rosa estão localizadas principalmente no Peru, na região do Vale Sagrado dos Incas, onde existia um oceano, há mais de dois mil anos. Seus grãos têm um elevado índice de umidade, com uma aparência grudenta, além de um sabor forte. É ideal para temperar peixes crus, frutos do mar e aves.

Sal defumado

Sal defumado (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal defumado (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Este sal é defumado lentamente usando madeiras nobres como o carvalho. Pode ser feito com vários tipos diferentes de sais e pode ser misturado a ervas aromáticas. A aparência cinza revela um gosto levemente adocicado e defumado. É bastante versátil e combina com pratos vegetarianos, carnes, aves e peixes.

Sal marinho

Sal marinho (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal marinho (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Também chamado de sal orgânico, é outro sal bastante popular atualmente. O sal marinho é obtido pela evaporação da água do mar (o mesmo que o sal comum) e não é refinado. Seu conteúdo mineral lhe dá um sabor diferente do sal de mesa.

Sal negro

Sal negro (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal negro (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
É obtido em reservas naturais da região central da Índia. O sabor não é nada comum e, para muitos, lembra o de gema de ovo. Sua textura é crocante e muito solúvel e, por isso, é ideal para ser adicionado aos molhos, saladas e massas.

Sal rosa do Himalaia

Sal rosa do Himalaia (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal rosa do Himalaia (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Este sal vindo da Ásia é colhido nos depósitos milenares de sal Khewra, quando o mar chegava às montanhas do Himalaia. Diferentemente dos sais industrializados, são cristais e são extraídos manualmente, sem sofrer nenhum tipo de refinamento.

Suas tonalidades podem variar do branco ao vermelho, porém é mais comum em tons de rosa. O tom rosado se deve aos minerais presentes nele, como o ferro e o manganês.  Acredita-se ser um dos mais puros sais conhecidos.

São fonte natural de mais de 70 oligoelementos, que estimulam os mecanismos de hidratação, além de ativar a diferenciação celular e favorecer a produção de fatores naturais de hidratação da pele. Carnes grelhadas, saladas com azeite e legumes na manteiga são boas opções para este sal.

Sal líquido

Sal líquido (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal líquido (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Este sal é obtido pela dissolução de sal marinho em água mineral. Tem sabor suave e pode ser adicionado a todos os alimentos, principalmente em saladas. Essa versão salga menos, mas tem menos sódio que os convencionais.

Sal do Havaí

Sal do Havaí (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal do Havaí (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
É um sal vulcânico originado nesta região, pode ser rosado ou negro. Rico em ferro, preserva o sabor ferroso de forma suave e menos salgado. Vai bem com molhos, saladas, vegetais e grelhados de carne vermelha. 

Sal grosso

Sal grosso (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Sal grosso (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Velho conhecido dos brasileiros que gostam de churrasco, os cristais grandes preservam as propriedades dos alimentos e evitam o ressecamento. É usado principalmente em carnes que vão à churrasqueira e naquelas assadas em uma espécie de invólucro.

Quanto sal devo usar?

Quanto sal devo usar? (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Quanto sal devo usar? (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
"Coloque uma pitada de sal"... Você já deve ter ouvido isso várias vezes, certo!? Mas quanto é "uma pitada"? Uma pitada com qual tamanho de dedo?

Salgar demais ou de menos é o temor dos cozinheiros de primeira viagem. Não à toa! Ou a comida vai ficar insossa ou vai ficar intragável. E até mesmo quem já é experiente na cozinha comete alguns erros.

O ideal é salgar aos poucos, experimentando conforme for cozinhando para não errar. Fazendo isso vai conseguir sentir a intensidade dos temperos e chegar no ponto que mais lhe agrada. Importante: Limpe seu paladar!

Experimentar várias vezes a mesma comida durante seu preparo pode levar a erros, pois você se "acostumará" com o sabor e pode exagerar no sal. Beba água constantemente para isso não acontecer.

Mas afinal, quanto é uma pitada de sal? Existe uma medida que é utilizada pela maioria dos restaurantes para padronizar a quantidade de sal, funciona assim: para cada quilo de ingredientes calcule 10 gramas de sal de mesa comum (cerca de uma colher de sopa rasa).

Essa "medida padrão" é o ideal para o prato não ficar salgado no ponto. Evidentemente, você deve levar em conta o seu gosto pessoal, o tipo de comida que está preparando e esse padrão não serve para tipos diferentes de sal.

E por vezes é muito difícil saber qual é o peso total dos ingredientes usados na receita, por isso um conselho: prefira errar para menos! É muito mais fácil corrigir a falta de sal do que o excesso dele. Um pouco de sal na própria comida finalizada pode conferir mais sabor à um prato sem sal. Já se você exagerou no sal vai ser bem mais trabalhoso consertar.


Salguei demais, o que eu faço?

Salguei demais, o que eu faço? (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)
Salguei demais, o que eu faço? (Imagem: Reprodução/Dicas de Mulher)


Você passa horas cozinhando, preparando tudo com carinho e pensando em cada detalhe. Desliga o fogo e vai provar: a boca prende e você quase chora de raiva ao perceber que salgou demais!

É uma situação terrível!

Muito pior que salgar de menos, é exagerar no sal. O gosto da comida fica forte e muitas vezes incomível.

Você pode pensar que a única solução é o lixo, mas calma, não entre me pânico, nessa vida só não tem jeito para morte!

Confira algumas soluções para "consertar" a comida salgada demais:

Cozidos e preparos a base de caldos

O indicado é colocar junto nesse cozido uma batata inteira, ela funcionará como uma esponja e irá absorver parte do sal, uma vez que estiver cozida, retire-a do preparo e você notará a diferença.

Pães salgados

Caso o excesso seja percebido antes de assar e antes do pão crescer, aumente a receita acrescentando mais farinha, ovo e leite e outros ingredientes conforme a situação.

Se o excesso for percebido com o pão já crescido ou depois do pão assado, não pode ser corrigido. O que você pode fazer é utilizar o pão em algum preparo, por exemplo, em uma torta de forno: passe as fatias ou pedaços do pão no leite e coloque em uma assadeira.

Faça um molho branco sem sal e coloque sobre o pão, adicione o recheio que desejar, frios, tomates, frango desfiado ou sobras de carne cozida, cubra com uma nova camada de pão e molho branco. Coloque no forno e você terá uma deliciosa torta de pão!

Massas salgadas

Não adianta nada ferver o macarrão várias vezes. Lave bem em água corrente e só. A massa normalmente é fina e o sódio não terá tanto espaço para penetrar, por isso, só lavando em água fria é o suficiente.

Molhos salgados

Você pode adicionar mais tomates ou leite ao molho, aumentando a receita. Ou pode também recorrer ao truque da batata ou do pão francês ou outro pão mais duro. O pão fará o mesmo efeito esponja que a batata, porém, deve ser retirado antes. Deixe ferver por 2 minutos no máximo. Se preferir coloque um pouco mais de água, se for um molho de tomate por exemplo.

Carnes, aves e peixes assados

Esse sim é complicado, depois de assado a concentração de tempero aumenta bastante, ficando bem mais difícil retirar o sal. Duas alternativas podem ajudar e muito. Uma delas é adicionar umas colheradas de açúcar misturado a um pouco de água e caldo do assado, e continuar a assar em fogo baixo. O açúcar não corta o sal, mas o neutraliza.

Outra solução é cortar a carne em pedaços e misturar a algum molho a base de tomate ou creme de leite, para neutralizar o sal.

Arroz salgado já cozido

Se você possuir mais arroz em casa, o melhor é cozinhar um pouco a mais sem tempero e misturar no já cozido. Se o arroz acabou, você pode fazer uma salada de arroz com tomates, milho, ervilhas, vegetais em geral e adicione também, vinagre e mostarda para neutralizar o sabor do sal.

Há outras duas alternativas: fazer um bolinho de arroz ou Yakmeshi, o arroz japonês. Para o bolinho basta misturar ovos, farinha e queijo com o arroz. Se você quiser experimentar o Yakmeshi coloque em uma panela ovos, vegetais e legumes sem sal. Deixe cozinhar e sirva em seguida.

Feijão salgado já cozido

O bom mesmo será você cozinhar um pouco mais de feijão sem tempero e misturar com o já cozido. Se isso não for possível, coe o feijão em uma peneira, amasse parte deles e coloque mais água para formar outro caldo e misturar a primeira parte muito salgada.

Outra ideia é fazer um tutu de feijão: adicione ervas e coloque farinha de mandioca, mexa bem em fogo baixo até engrossar. A farinha pode disfarçar o gosto do sal. Seguindo o mesmo raciocínio, você poderá fazer bolinhos fritos. Para isso coe o caldo, amasse os grãos, coloque farinha de mandioca e ervas, faça pequenas bolinhas e empane. Frite em óleo quente e sirva em seguida com um molho agridoce.

Gostou da matéria? Que tal se aprofundar ainda mais sobre o sal e conhecer as mais diversas utilidades que esse mineral pode fazer por você? Acesse:

> 25 coisas incríveias que o sal refinado faz além de salgar alimentos

Imagens: Shutterstock